Cefaleias ou enxaquecas secundárias

Cefaleias secundárias são aquelas causadas por alguma outra doençacomo infecções (sinusites, meningites) ou por doenças bem mais graves como tumores cerebrais, traumatismo craniano, meningites, acidente vascular cerebral (derrame), hidrocefalia, Herpes-zóster e aneurismas. Ou ainda por alterações metabólicas ou hormonais.

 

Saiba como diferenciar enxaqueca da dor tensional

 

 

Cefaleias ou enxaquecas secundárias

 

Abaixo, um relato de caso onde minha experiência e avaliação minuciosa, proporcionaram um diagnóstico preciso, permitindo ao paciente o melhor tratamento para o momento, garantindo sua qualidade de vida.

Relato de caso:

Menor T.G. de 9 anos de idade. Nascido a termo. Parto normal. Andou antes dos 12 meses engatinhou durante pouco tempo, começando andar quase que de imediato. Falou as primeiras palavras aos 13 meses e aos 2 anos e meio já tinha adquirido o vocabulário necessário para manter uma conversa condizente com a idade.

Em maio de 2014 a mãe levou a criança ao pediatra por queixas de dor em MMIIs (pernas), cansaço e sem vontade de fazer as coisas.

O diagnóstico médico foi de dor de crescimento, explicando ser normal quando a criança cresce rápido e pediu um tempo para observação.

Em agosto do mesmo ano a mãe percebeu que a criança tinha problemas de equilíbrio, caía com facilidade, tinha dor de cabeça e dor nas costas, pouca energia e ficava bastante tempo na cama.

Voltou ao pediatra que solicitou alguns exames e o diagnóstico foi diagnóstico de febre reumática.

Apresentou-se na clínica e durante a avaliação fisioterápica, a criança apresentou queixa de dor de cabeça e dor no abdômen.

Apresentava pouca energia, diminuição de força muscular em MMSS  e MMIIS bilateral, sendo menor a direita. Reflexos patelar diminuído sendo a diminuição maior à esquerda. Reflexo bicipital à direita praticamente nulo; à esquerda presente, mas diminuído. Reflexos tricipital presentes bilateralmente, mas ambos diminuídos.  Marcha atáxia com inclinação da cabeça à direita.

Falta de equilíbrio tanto na marcha quanto em postura ortostática (em pé)

Segundo relato da mãe, a piora tinha ocorrido nos últimos 3 meses.

Após avaliação, foi solicitado exame de imagem RM (ressonância Magnética) à cabeça.

O resultado do exame de imagem apresentou tumor cerebelar já com uma hidrocefalia (acumulo de líquido dentro do crânio) em estágio avançado.

A criança foi encaminhada para internação no mesmo dia e passou por procedimento cirúrgico para colocação de válvula de drenagem do liquido cerebral.

Com previsão de retirada do tumor e tratamento clinico pela equipe de oncologia.

Hoje essa criança, está perfeitamente adaptada ao seu meio social e com uma vida normal à sua faixa etária.

Leia sobre: Cefaléia, enxaqueca ou dor de cabeça tensional

Deixe seu comentário