Processos degenerativos da coluna vertebral

O processo degenerativo, pode constituir um processo normal do envelhecimento e não ser causa de quadros dolorosos.

Entretanto, pode ser etiologia (do grego αιτία, aitía, “causa” o estudo ou ciência das causas) de aspectos clínicos como espondilose degenerativa lombar, hérnia de disco ou estenose vertebral (estreitamento do canal vertebral).

Nos casos degenerativos (causados pela progressão de alguma doença) é importante estar atento à prevenção de um desgaste inicial e de sinais perceptíveis e dolorosas.

Processo degenerativo do disco espinhal

Na década de 1970, Kirkaldy-Willis descreveu pela primeira vez a “cascata degenerativa” da doença degenerativa do disco. Ele postulou que depois de um indivíduo sofrer uma lesão torcional (torção) no disco, o disco degeneraria em três estágios gerais.

  • Primeiro, há uma disfunção significativa causada pela dor nas costas aguda da lesão.
  • Em seguida, há uma longa fase de instabilidade relativa naquele segmento vertebral específico e o paciente estará propenso a episódios intermitentes de dor nas costas.
  • Finalmente, o corpo reestabiliza o segmento e o paciente experimenta menos episódios de dor nas costas.

Artrose

A artrose é uma das causas mais comuns de reumatismo. Apesar de ser mais comum nos idosos, a artrose na espinha dorsal/coluna, também pode afetar jovens. Pode ser causada por acidentes, excesso de atividade física, levantar muito peso, além de fatores genéticos.

É o processo de degeneração e destruição da cartilagem existente entre as vértebras. Pode ser uma doença grave que gera sintomas como intensa dor nas costas e dificuldade na mobilidade.

Processos degenerativos da coluna vertebral

 

Estreitamento (estenose) do canal vertebral lombar

Ocorre mais no idoso. As causas podem ser congênitas ou degenerativas. Dificulta a passagem das informações medulares para as pernas e delas para a medula ou o cérebro. O portador sente cansaço nas pernas, ao andar, e também dor.

 

Osteoporose

 

 

Na osteoporose dos ossos encontram-se fracos devido a diminuição da massa óssea e podem surgir desvios da espinha dorsal, sendo comum a cifose torácica.

Esta doença é mais comum após os 50 anos e é silenciosa não apresentando sintomas característicos, sendo descoberta apenas quando são realizados exames como, o raio-x ou a densitometria óssea.

cifose

 

Nos casos de pacientes portadores de osteoporose é recomendado tomar remédios de cálcio e vitamina D indicados pelo médico, se expor ao sol, praticar exercícios e manter sempre uma postura adequada. Com estas estratégias é possível diminuir a gravidade da osteoporose deixando os ossos e os músculos mais fortes e menos propensos a fraturas.

Em todas as situações nomeadas, o papel do fisioterapeuta é primordial. Importante trabalhar o alongamento/fortalecimento muscular dando ênfase à postura e a educação do movimento com melhora nas atividades de vida diária (AVDs) e consequente ganho na qualidade de vida.

Deixe seu comentário