Sono versus Mídia eletrônica

sono versus mídia eletronicaComo relatamos no post anterior o sono restaurador é uma necessidade básica para se viver.

Na pré-história a principal luz para o homem era a luz solar. Com a evolução dos tempos chegaram o fogo, lâmpadas e nos tempos atuais os smartphones, distorcendo gradativamente o relógio biológico.

A sociedade hoje em dia, está gastando cada vez mais tempo on-line, fazendo uso excessivo de mídia eletrônica (computadores, smartphones, tablets e outros….) com risco para a saúde. O sono do indivíduo torna-se irregular, diminuído, com um início tardio e um despertar precoce, devido à deslocação nos grandes centros.

sono versus mídia eletrônica

Luz Azul, Vermelha e Verde

A literatura faz uma alusão aos efeitos de alguns tipos de luz:

A luz azul dos eletrônicos é a mais prejudicial na medida em que suprime a melatonina e repõe a cognição.

A luz verde estica o ritmo circadiano pela metade do que a azul faz, em média (1,5 hora x 3 horas).

A luz vermelha é a menos prejudicial.

No entanto, o ideal continua sendo a ausência de luz, durante o período noturno para o equilíbrio do relógio biológico, assim como a diminuição do tempo de  uso de tela.

Uma pesquisa do King’s College, de Londres, reuniu dados de mais ou menos 125 mil crianças e adolescentes entre 6 e 19 anos de idade, de diversas parte do mundo, detectou efeitos nefastos à saúde, devido ao uso excessivo de aparelho(s) eletrônico(s) no período de descanso, de diversos graus de gravidade (depressão, obesidade, amplificação dolorosa, dentre outras).

Segundo publicação recente, a OMS (Organização Mundial da Saúde) preconiza que crianças até 2 anos não tenham contato com telas de espécie alguma. A partir dessa idade até 3 anos a exposição não deve superar uma hora por dia.

Na clínica é sugerido aos pais que permitam o uso de “tela” (TV, computadores, smartphones, tablets e outros…) pelas crianças, totalizando no máximo, 2 horas por dia, mas, nunca próximo da hora de dormir.

Leia sobre: A Importância do sono

Da mesma forma, é recomendado não permitir, que o celular ou o tablet, fique no quarto pois além, da luz emitida pelo aparelho sempre haverá a expectativa de receber mensagens, o que deixa as crianças e adolescentes em estado de alerta, afetando dessa forma a qualidade do período de descanso, com consequências nefastas na alimentação, no aprendizado escolar, no humor, na energia, enfim nas atividades da vida diária (AVDs).

Deixe seu comentário